Tomas Contte conquista primeira Clássica de Santo Thyrso

05-MAR-2023

O jovem argentino Tomas Contte foi o primeiro camisola amarela da história da Clássica de Santo Thyrso. A edição inaugural da prova de ciclismo trouxe a festa das duas rodas ao concelho, numa homenagem ao mítico ciclista tirsense José Pacheco.

A corrida começou em Vila das Aves, às 12h00, tendo o jovem Tomas Contte, da equipa Aviludo-Louletano-Loulé Concelho, cortado a meta 3 horas, 37 minutos e 25 segundos após a partida, já no centro de Santo Tirso, depois de 144,4 quilómetros de prova.

Após a entrega dos prémios, na Praça 25 de Abril, o presidente da Câmara Municipal, Alberto Costa, lembrou que, com esta prova, “Santo Tirso demonstra uma vez mais a experiência na organização de grandes eventos, não apenas nos núcleos urbanos, mas em todo o território”.

"O ciclismo está no nosso ADN", lembrou o autarca, evocando não apenas o legado de José Pacheco, mas também as etapas emblemáticas da Volta a Portugal ou do Grande Prémio JN. "Temos um passado de história no ciclismo, com uma aposta forte nesta modalidade, por isso estava na hora de termos uma prova nossa", acrescentou.

"É uma justa e merecida homenagem ao nosso primeiro atleta olímpico, o nosso José Pacheco, que venceu a Volta a Portugal em 1962", recordou Alberto Costa, salientando que “a Clássica de Santo Thyrso é, além de uma homenagem, uma forma de promover e alavancar o desporto, que faz bem a todos".

"Estamos muito contentes pela forma como esta prova foi aceite, mesmo com o mau tempo, as pessoas fizeram questão de sair à rua", sublinhou.

Além do vencedor Tomas Contte, o primeiro pódio da Clássica de Santo Thyrso foi completado por Fábio Costa (Glassdrive-Q8-Anicolor), em segundo, e Adrián Bustamante (Kelly-Simoldes-UDO), terceiro classificado.

Com apenas nove segundos de distância para o vencedor da geral, Pedro Silva (Glassdrive-Q8-Anicolor) foi o mais rápido na geral da juventude. Já Fábio Oliveira (ABTF Betão-Feirense) venceu a geral das metas volantes. Rodrigo Caixas (Credibom-La Alumínios-Marcos Car) foi o mais forte no prémio de montanha.

Na classificação das equipas, venceu a Glassdrive-Q8-Anicolor. No total, 119 ciclistas, de 17 equipas de todo o país, pedalaram pelo concelho.

Organizada pela Federação Portuguesa de Ciclismo e pela Associação de Ciclismo do Porto, com o apoio da Câmara Municipal, a Clássica de Santo Thyrso é uma prova inscrita no calendário nacional do escalão profissional, destinada a atletas elite e sub-23.

Esta foi a primeira edição da corrida, que presta homenagem a José Pacheco, antigo ciclista natural da Agrela, em Santo Tirso, vencedor da Volta a Portugal de 1962 e atleta olímpico.

  • Partilhar